EnergiaMundoTodos

Um terço de setor de gás de xisto dos Estados Unidos perto de insolvência

Quase um terço dos produtores de gás de xisto dos Estados Unidos são tecnicamente insolventes com o petróleo a US$ 35,00 o barril, de acordo com a Deloitte, o que destaca a crise financeira do setor mesmo com a recuperação dos preços da commodity em relação à mínima histórica no início deste ano.

O petróleo WTI chegou a ser negociado a US$ 40,06 o barril na manhã de segunda-feira em Nova York, um nível bem mais alto em comparação com a maioria dos últimos meses, especialmente em abril, quando os preços entraram em terreno negativo por breve período.
Mas a recuperação fará pouco para impedir que 15 anos de crescimento da produção alimentado por dívidas não cause impacto em muitos produtores de gás de xisto, disse a Deloitte em estudo.

A insolvência técnica é um termo contábil segundo o qual uma empresa enfrentará problemas para realizar o pagamento de dívidas. “Novos ventos contrários e imprevistos continuam a abalar o progresso da indústria”, disseram os autores do estudo Duane Dickson, Kate Hardin e Anshu Mittal no relatório.

Embora o preço abaixo de zero tenha sido um deslocamento temporário, essa intensa volatilidade destaca o estado frágil do setor. Os problemas financeiros dos produtores de gás de xisto decorrem de uma década de enorme crescimento da produção usando novas tecnologias de fraturamento financiadas por empréstimos e financiamentos em larga escala de Wall Street.

O boom da produção transformou os Estados Unidos no maior produtor mundial de petróleo e gás. Mas, com isso, as empresas queimaram cerca de US$ 342 bilhões em caixa desde 2010, deixando pouco retorno para investidores. A Chisholm Oil & Gas e a Extraction Oil & Gas entraram com pedido de recuperação judicial na semana passada, juntando-se a outras empresas como Whiting Petroleum e Ultra Petroleum. Enquanto isso, a Chesapeake Energy e California Resources alertaram investidores de que correm risco de não cumprir com as obrigações de dívida. (Bloomberg)

Compartilhe nas redes sociais:

Faça seu comentário