BrasilTodos

Sérgio Moro retuíta escritora Glória Perez e diz: “Barata a vida humana no Brasil”

O ministro Sérgio Moro (Justiça e Segurança Pública) retuitou na sexta-feira, 30, a escritora Glória Perez e indignou-se com o benefício concedido a um dos assassinos do menino João Hélio. “Responsável por assassinato brutal de criança, embora condenado a 39 anos de prisão, foi na prática libertado após dez anos. Barata a vida humana no Brasil. Em outros países, seria perpétua”.

O menino João Hélio, de sete anos incompletos, foi arrastado por sete quilômetros pelas ruas da zona Oeste do Rio de Janeiro e morto em 2007. Na quinta-feira, 29, um dos acusados, o “Carlinhos sem pescoço”, condenado a 39 anos de reclusão, ganhou direito a cumprir pena em casa, monitorado por tornozeleira eletrônica. Ele estava preso havia 10 anos e meio. A medida provocou a repulsa da escritora Glória Perez, que defendeu o pacote anticrime de Sérgio Moro. O projeto Moro mira sufocar o crime organizado, a corrupção e a criminalidade violenta, mas encontra sólida resistência no Congresso que é formado por uma maioria de bandidos, criminosos fisiológicos que buscam se proteger de todas as formas. “Que venha o pacote do Moro, para que nunca mais a extrema crueldade contra uma criança seja premiada com a impunidade!”, tuitou Glória Perez.

“Condenado a 39 anos de prisão pela morte do menino João Hélio ganha benefício para cumprir pena em casa”. Moro retuitou Glória: “O projeto de lei anticrime, se aprovado, impediria essa vergonhosa injustiça”.

Sérgio Moro tem toda razão, a vida é muito barata no Brasil. Haja vista que morrem, todos os anos, cerca de 60 mil brasileiros a bala e facada. E outros 55 mil morrem em acidentes de trânsito. São mais de 110 mil mortes, todos os anos, que ficam impunes. Isso é mais do que qualquer guerra promove no mundo inteiro. E a lei e os capa pretas livram a cara de toda a bandidagem, a começar pela de alto colarinho, que promove este clima no Brasil.

Faça seu comentário