BrasilJustiçaPolíticaTodos

Procuradores integrantes da Força Tarefa da Lava Jato pedem demissão coletiva em protesto contra Raquel Dodge que livra cara de denunciados em delação

Os integrantes do grupo da Lava Jato na Procuradoria Geral da República, em Brasília, acabam de anunciar na noite desta quarta-feira a sua demissão coletiva da tarefa que desempenham. Pediram demissão os procuradores Raquel Branquinho, Maria Clara Noleto, Luana Vargas, Herbert Mesquisa, Victor Riccely e Alessandro Oliveira. Raquel Branquinho era a chefe da área criminal da Procuradoria Geral da República em Brasilia.

Na mensagem que enviaram aos membros do Ministério Público Federal, os procuradores alegam “grave incompatibilidade de entendimento dos membros” com a “manifestação enviada pela Procuradora Geral da República ao Supremo Tribunal Federal”, ontem, pedindo a validação da delação premiada do empreiteira Leo Pinheiro, da empreiteira baiana muito corrupta OAS,mas na qual ela livrou a cara do irmão de Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal, e do presidente da Câmara dos Deputados, o deputado federal Rodrigo Maia, conhecido como “reizinho do Centrão”.

Na mensagem que enviaram aos colegas eles não detalham qual seria a manifestação, que estaria em sigilo. “Devido a uma grave incompatibilidade de entendimento dos membros desta equipe com a manifestação enviada pela PGR ao STF na data de ontem (03.09.2019), decidimos solicitar o nosso desligamento do GT Lava Jato e, no caso de Raquel Branquinho, da SFPO. Enviamos o pedido de desligamento da data de hoje. Foi um grande prazer e orgulho servir à Instituição ao longo desse período, desempenhando as atividades que desempenhamos. Obrigada pela parceria de todos vocês. Nosso compromisso será sempre com o Ministério Público e com a sociedade”, dizem no texto colocado na rede interna da Procuradoria Geral da República.

Está se consumando o golpe armado nas altas esferas brasilienses contra a Operação Lava Jato. Na liderança estão Dias Toffoli, Gilmar Mendes, Alexandre de Moraes, Davi Alcolumbre, Rodrigo Maia, o Centrão, o PT, PSOL, PCdoB, Rede, PSB, PDT, e o próprio Jair Bolsonaro. O Brasil caminha para se tornar uma grande Itália. Toda a alta nomenklatura brasileira quer restaurar o regime de franca roubalheira de recursos públicos, escancarado pela organização criminosa do PT e de seus asseclas.

Compartilhe nas redes sociais:

Comments (1)

  1. ISSO SOMENTE VAI ACABAR QUANDO TOMARMOS AQUELES PUTEIROS E CORTARMOS AS CABEÇAS E ATEARMOS FOGO EM TUDO AQUILO…NÃO SÃO POLITICOS NEM JURISTAS E NEM PROCURADORES…SÃO BANDOS DE CORRUPTOS E FACÍNORAS QUE SE CORROMPEM ENTRE SI PARA ASSIM SE MANTER NO PODER E LEVAR NOSSO PAÍS Á DESGRAÇA…NÃO SE PODE ACREDITAR NUMA ESCULHAMBAÇÃO DESSAS…REALMENTE SÓ NA BALA…

Faça seu comentário