Justiça

Polícia Federal extradita para Espanha condenado a 193 anos de prisão por atentado terrorista

A Polícia Federal realizou nesta quinta-feira (6) a extradição para a Espanha de Carlos Garcia Juliá, condenado a 193 anos de prisão na Espanha país por ter participado de um atentado terrorista conhecido por “Massacre de Atocha”, em 1977.

A extradição dele havia sido autorizada pelo Supremo Tribunal Federal em agosto de 2019. Garcia Juliá e outros dois homens que integravam o grupo de extremista contrarrevolucionário de direita “Falange Espanhola”, contrário a movimentos sindicais, invadiram um escritório de advocacia trabalhista em Madri e mataram a tiros cinco pessoas.

Outras quatro ficaram feridas no ataque. Juliá chegou a ser preso e a cumpriu pelo menos 14 anos de prisão na Espanha mas, quando obteve liberdade condicional, fugiu para a América do Sul. Em dezembro de 2018, em cooperação com a Polícia Nacional da Espanha, a Polícia Federal localizou e prendeu o foragido em São Paulo, devido ao pedido de extradição que havia sido feito pelo governo espanhol.

Ele usava documentos falsos em nome de um cidadão venezuelano. Também foi realizada nesta quinta a extradição, para os Estados Unidos, do cidadão ítalo-britânico Mark Anthony Fisicaro, réu em processo que apura a prática de tráfico transnacional de drogas.

Compartilhe nas redes sociais:

Faça seu comentário