BrasilEducaçãoPolíticaTodos

Paraninfo da turma de jornalismo da Unisinos é vaiado, interrompido e expulso do auditório ao criticar Bolsonaro

Os pais, colegas, convidados e amigos dos formandos não gostaram do discurso lulopetista do paraninfo na solenidade de formatura do Curso de Jornalismo da ultra-esquerdista Unisinos, dos padres jesuítas, localizada no Vale do Sinos, no Rio Grande do Sul (São Leopoldo).

Na formatura realizada na última sexta-feira, o paraninfo da turma, professor Felipe Boff, foi vaiado e teve o discurso interrompido pelo público, sendo expulso do auditório e escoltado pela polícia universitária, porque corria o risco de levar uma surra na saída de parte do público irado.

O professor esquerdista Felipe Boff resolveu fazer um discurso lulopetista, atacando o presidente Jair Bolsonaro. O mote do discurso foi centrado nos enfrentamentos que repórteres da imprensa tradicional costumam ter com o presidente. O próprio paraninfo contou o caso no seu Twitter.

O discurso de ódio do professor foi contra Bolsonaro, criticado severamente por seus confrontos com a imprensa tradicional do tipo RBS, Globo, Estadão e Folha, uma cambada esquerdopata defensora das piores teses e que chancelaram a destruição do Brasil e dos sonhos dos brasileiros pelo regime criminoso do PT.

Foi muito bom o que ocorreu para que essa corja esquerdista perceba que a sociedade brasileira está vigilante sobre os arroubos populistas criminosos. A Unisinos é um antro do esquerdismo. Mas não foi sempre assim. Durante o regime militar os padres jesuítas foram bem submissos ao poder, quanto queriam conquistar o título de uma universidade. E a tal ponto foram em sua submissão que serviram como universidade cobaia (teste) para a reforma universitária promovida pelo então ministro da Educação, coronel Jarbas Passarinho.

Essa reforma acabou com o ensino tradicional universitário em que uma turma começava e terminava a graduação junta, e criou o sistema de créditos por matérias. Mas, já naquela época, os jesuítas no Brasil estavam amplamente ligados a organizações esquerdistas que aderiram à luta armada e praticaram atos terroristas.

O elemento mais destacado atualmente do esquerdismo jesuíta é o Papa Francisco, um comuno-peronista líder da esquerdopata Teologia da Libertação, sócia do Foro de São Paulo, criado pelos comunistas Fidel Castro e Lula. Da pior maneira, Felipe Boff, um professor universitário provinciano, conseguiu virar celebridade nacional do esquerdismo.

Compartilhe nas redes sociais:

Comments (12)

  1. Que lixo de reportagem, totalmente imparcial
    Uma coisa q deve aprender, criticar um presidente não significa q apoia o outro, eu por exemplo, acho que o Lula deve ficar na cadeia e o Bolsonaro em um hospício

  2. Tentativa inútil da esquerda em inocentar, por meio da aparelhada Educação, toda espécie de bandidos que governou este País de 1986 a 2018, sobretudo na era da OCrim PT.

  3. Onde nós moramos ? Que um Centrao diz DIZ que vai fazer e não pede.
    FORA Maia.🇧🇷🇧🇷🇧🇷🇧🇷🇧🇷

    • Reportagens de direita sempre tem espaço para o público dar resposta sobre a matéria, ao contrário dos veículos de esquerda, que não podemos comentar.
      Parabéns por relatar os fatos com clareza.
      Coisa que a esquerda não faz, vive se vitimizando e ocultando informações.

  4. Quanta ignorância em um artigo só. Quer dizer que a Unisinos é comunista porque adotou a reforma da ditadura militar? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  5. ESTÁ CERTO, O PRESIDENTE BOLSONARO, EM TIME QUE ESTÁ GANHANDO NÃO SE MEXE. TEMOS QUE VER QUE ESSE DESEJO DE MUDANÇA TEM A VER COM AS ELEIÇÕES, OS QUE QUEREM POLARIZAR A REPÚBLICA DE PARTIDOS CAMUFLADOS, NÃO ADIANTA CAMUFLAR ESTAMOS DE OLHO, A ESQUERDALHA BANDIDA NÃO QUER O BEM DO BRASIL.

  6. Essa matéria é um fake news. Se informe antes de publicar algo, twitter não é fonte.

Faça seu comentário