BrasilPolíciaPolíticaTodos

Palocci delata RBS no caso Zelotes. E denuncia: “Eles me procuraram e pagaram propina”

Em delação premiada, o ex-ministro de governos petistas, o trotskista Antônio Palocci afirmou que atuou para que o Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais) beneficiasse o grupo RBS, pertencente à família Sirotsky, empresa afiliada da Rede Globo no Rio Grande do Sul. A notícia foi destaque do Jornal da Record. Segundo Palocci, teriam sido pagas propinas a conselheiros do CARF para cancelar uma multa da RBS de R$ 500 milhões com a Receita Federal.

A multa foi aplicada porque a Receita considerou que uma fusão da RBS com a Telefônica, em 1999, tinha apenas a intenção de sonegar impostos. Palocci revelou que 12 anos depois, em 2011, quando já era ministro da Casa Civil, no governo Dilma Roussef, recebeu no gabinete o então presidente do Grupo RBS, Nelson Pacheco Sirotsky, e o diretor da afiliada, Paulo Tonet Camargo. A dupla pediu ajuda de Palocci para conseguir o perdão da dívida. A contrapartida, segundo Palocci, seria o apoio dos veículo do grupo RBS à Dilma Roussef. A RBS pagou propina e garantiu apoio à eleição de Dilma para escapar de multa de R$ 500 milhões no Carf, delata Palocci.

 

Comments (1)

  1. Ué mas os esquerdopatas não “”odeiam”” a Globosta e RBS? Imagina se amassem!

Faça seu comentário