BrasilPolíticaSaúde e MedicinaTodos

Onguismo petista sai em defesa do isolamento social contra a peste da China, é o medo pânico que têm do povo nas ruas

Em nota conjunta divulgada na noite desta sexta-feira (27), o sindicato comuno-petista da Igreja Católica, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), mais a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) (reunião de professores universitários petistas), a Academia Brasileira de Ciências (ABC), a Comissão Defesa dos Direitos Humanos Dom Paulo Evaristo Arns – Comissão Arns (totalmente vermelha), a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), um puxadinho do PT, e a Associação Brasileirade Imprensa (ABI), “alertam” a população para que fique em casa, respeitando as recomendações da ciência, a fim de evitar a propagação do novo coronavírus (covid-19).

Segundo a nota, as estratégias de isolamento social são fundamentais para conter o crescimento do número de pessoas afetadas e “visam à organização dos serviços de saúde para lidar com esta situação, que, apesar de grave, pode ser bem enfrentada por um sistema de saúde organizado e bem dimensionado”. Para as entidades, “a hora é de enfrentamento desta pandemia com lucidez, responsabilidade e solidariedade”. A nota é assinada pelos presidentes da CNBB, dom Walmor Oliveira de Azevedo; da SBPC, Ildeu de Castro Moreira; da ABC, Luiz Davidovich; da Comissão Arns, José Carlos Dias; da OAB, Felipe Santa Cruz; e por Paulo Jeronimo de Sousa, da ABI.

O que toda essa gente quer esconder é o tremendo desastre em que o regime criminoso do PT e de seus asseclas jogou o sistema de saúde pública no Brasil, durante os 13 anos em que esses bandidos estiveram no poder. O Conselho dos Secretários Estaduais de Saúde (Conass) divulgou hoje uma carta na qual afirma que “pronunciamentos e orientações conflitantes das autoridades sobre medidas restritivas adotadas no enfrentamento do coronavírus geram intranquilidade e insegurança”.

O texto destaca que cada dia de isolamento social importa, assim como cada vida brasileira importa. “Defendemos irrestritamente as medidas sanitárias adotadas pelas unidades federativas do País, pois não se pautam por cores partidárias ou de qualquer outra natureza, e sim por critérios técnicos e científicos observados ao redor do planeta”. Isso é uma tremenda mentira, as decisões de paralisação econômica do Brasil foram eminentemente políticas e ideológicas. Com isso, governadores, prefeitos e políticos bandidos visam derrubar a Lei de Responsabilidade Fiscal e seus controles, restabelecendo o regime de gastança desbragada do dinheiro público, que gera obras intermináveis, com sua sequência de aditivos e um festival de propina.

Segundo a nota, quanto mais alto for o pico da doença no Brasil, mais alto será o número de pacientes graves a demandar atendimento médico ao mesmo tempo, e, se a capacidade de leitos for insuficiente, o número de óbitos aumentará. Isso é evidente, porque os vagabundos neokeynesianos, esquerdistas populistas, fisiológicos e outros bandidos da mesma espécie que infestam a vida pública brasileira, deixaram o sistema pública brasileiro desequipado e com um número muito inferior de leitos do que o Brasil já havia conseguido alcançar. Agora se borram de medo de que essa monumental insuficiência venha a ser constatada e provado o crime que praticaram.

Também nesta sexta-feira, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) encaminhou ao presidente Jair Bolsonaro e aos presidentes do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, do Senado Federal, Davi Alcolumbre, e da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, uma carta em que propõe isolamento vertical na indústria. Dessa maneira, apenas os grupos considerados de risco ficariam isolados para evitar a covid-19.

Segundo a proposta, cerca de 9,4 milhões de trabalhadores industriais deverão fazer exames rápidos a cada 15 dias. “A evolução de casos da covid-19 na Coreia do Sul e na Alemanha demonstra que, se bem executada, essa é uma estratégia eficiente para promover o achatamento da curva de propagação do vírus, preservar vidas e reduzir a pressão sobre o sistema de saúde”, justifica o presidente da entidade Robson Andrade. “Ao mesmo tempo, facilita a retomada, ainda que gradual das atividades produtivas”, acrescenta.

Compartilhe nas redes sociais:

Faça seu comentário