Todos

Moro reage à espionagem e conspiração movida pelo The Intercept, do esquerdista americano Glenn Greenwald, marido do deputado federal David Miranda, do PSOL do Rio de Janeiro

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, publicou uma nota na noite deste domingo em que criticou os ataques feitos por hackers ao seu celular e aos de procuradores da República que atuam nas forças-tarefas da Lava Jato em Curitiba e no Rio de Janeiro. Neste domingo, o site The Intercept Brasil divulgou o suposto conteúdo de mensagens trocadas por integrantes do Ministério Público Federal. Em nota, o ministro lamentou a invasão, criticou a falta de identificação da pessoa responsável por hackear e a postura do site, que não entrou em contato com ele antes da publicação do conteúdo. O The Intercept pertence ao esquerdista americano Glenn Greenwald, que publicou via The Guardian, jornal esquerdista inglês, os registros secretos da NSA (National Security Agency), roubados pelo traidor Edward Snowden. Este traidor vive asilado na Rússia. Glenn Greenwald fugiu dos Estados Unidos e veio morar no Rio de Janeiro, onde se casou com David Miranda, atualmente deputado federal do PSOL. Era suplente de Jean Wyllys, que renunciou ao mandato e agora vive na Europa. 
Esta é a nota de Sérgio Moro: “Sobre supostas mensagens que me envolveriam publicadas pelo site Intercept neste domingo, 9 de junho, lamenta-se a falta de indicação de fonte de pessoa responsável pela invasão criminosa de celulares de procuradores. Assim como a postura do site que não entrou em contato antes da publicação, contrariando regra básica do jornalismo. Quanto ao conteúdo das mensagens que me citam, não se vislumbra qualquer anormalidade ou direcionamento da atuação enquanto magistrado, apesar de terem sido retiradas de contexto e do sensacionalismo das matérias, que ignoram o gigantesco esquema de corrupção revelado pela Operação Lava Jato”.
Compartilhe nas redes sociais: