MundoSaúde e MedicinaTodos

Israel recebeu nesta terça-feira o primeiro vôo comercial árabe do Golfo Pérsico, da Etihad, levando auxílio para Gaza

A companhia aérea Etihad, dos Emirados Árabes Unidos, marcou um momento histórico no meio da pandemia mundial de coronavirus, quando um jato de sua frota desceu no aeroporto internacional israelense Ben Gurion, em Tel Aviv. Foi a primeira vez que uma companhia aérea árabe dos Emirados do Golfe Arábico fez um vôo comercial para Israel. O vôo, com um jato de grande porte descaracterizado, sem os emblemas da Etihad, chegou a Israel levando 16 toneladas de ajuda para os palestinos.

A aterrissagem do avião em Tel Aviv, vivamente comemorada, causou uma imediata revolta do sinistro aiotolá Khamenei, chefão genocida do Irã. Ele reagiu dizendo por meio de postagem no Twitter que os estados árabes do Golfo Pérsido “traem a Palestina apoiando Israel”. E voltou a pedir um levante armado na Cisjordânia contra o estado israelense. O facínora não tem limites em suas pregações genocidas e antissemitas contra os judeus.

A companhia aérea dos Emirados Árabes Unidos enviou o avião carregado com 16 toneladas de ajuda ao coronavírus para os palestinos em um vôo direto de Abu Dhabi para Tel Aviv. O jato de carga da Etihad, pintado de branco e sem marcação, pousou no aeroporto Ben-Gurion logo após as 21 horas locais (15 horas no Brasil), após voar por uma rota indireta, via espaços aéreos do Iraque e Turquia, ou mesmo da Jordânia, o que ainda não ficou claro.

O vôo representa o ápice da cooperação entre os Emirados Árabes Unidos, lar de Abu Dhabi e Dubai, na Península Arábica, e Israel. Os países não têm laços diplomáticos formais com Israel, mas começaram a cooperar cada vez mais abertamente depois de anos de rumores conversações entre eles sobre a inimizade mútua do Irã.

Uma autoridade israelense disse que o vôo estava levando ajuda humanitária fornecida pelos Emirados Árabes Unidos aos palestinos por meio do Programa Mundial de Alimentos, e que o vôo de carga foi coordenado com o governo israelense. O vôo levou suprimentos médicos para Gaza.

A agência de notícias estatal WAM dos Emirados Árabes Unidos emitiu um comunicado dizendo que entregou 16 toneladas de equipamentos de proteção, itens médicos e respiradores “para conter a propagação da pandemia de COVID-19 e seu impacto no território palestino ocupado”. Não reconheceu o vôo nem seu significado. Grande parte da coordenação entre Israel e os estados do Golfo se baseia em uma preocupação comum com o Irã, que ameaçou repetidamente destruir o Estado judeu e procura exercer sua hegemonia sobre a região.

O vôo ocorreu durante um período de maior tensão entre Irã e Israel, com notícias emergentes na terça-feira de que Israel realizou um ataque cibernético de enorme monta paralisando a operação de um grande porto iraniano no Golfo Pérsico, em retaliação por uma tentativa iraniana anterior de destruir a infraestrutura de distribuição de água de Israel. O Irã é o principal fornecedor de armas e foguetes para grupos terroristas no Líbano e Gaza.

Compartilhe nas redes sociais:

Faça seu comentário