BrasilSaúde e MedicinaTodos

Governo Witzel vai segregar os velhos para que morram no Rio de Janeiro, se faltarem respiradores e leitos de UTI nos hospitais

A Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro, do governo de Wilson Witzel, está analisando um protocolo que visa estabelecer quem receberá um leito nos hospitais do Estado, caso as unidades atinjam capacidade máxima de atendimento. O aumento do número de casos de covid-19 tem sobrecarregado os hospitais públicos e, em especial, os leitos de terapia intensiva (UTI). Esse protocolo é simples, segregará os velhos para que morram sem a assistência de equipamento como o respirador.

O próprio secretário estadual de Saúde, Edmar Santos, acredita que, se o número de infecções continuar crescendo, em breve não haverá vagas para todos os pacientes. O protocolo está sendo preparado em parceria com o Conselho Regional de Medicina, a Academia Nacional de Cuidados Paliativos, Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, da Sociedade de Terapia Intensiva e a Universidade Federal Fluminense, entre outras instituições. De acordo com a Secretaria de Saúde, estão sendo consideradas práticas utilizadas em países como Espanha e Estados Unidos.

Compartilhe nas redes sociais:

Faça seu comentário