BrasilNegóciosPolíticaTodos

Governo de Eduardo Leite já pede socorro à Febraban para salvar Banrisul de indenizações trabalhistas bilionárias

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite e sua área financeira estão buscando apoio da Febraban para enfrentar a feia crise das indenizações trabalhistas no Banrisul. Se o banco estatal gaúcho tiver que pagar todas as indenizações em ações trabalhistas já ajuizadas, sobre as 7ª e 8ª horas trabalhadas por seus funcionários, com alcance sobre dez anos, isso liquidará o banco, que não tem condições para enfrentar tamanho desencaixe.

Se o banco estornasse todo o pessoal para o regime de seis horas, também não teria corpo funcional necessário para dar suporte a suas atividades bancárias. O alcance da ação é tão grande que beneficia gente já aposentada e inclusive muitos funcionários que já pediram demissão, ou foram demitidos. É um verdadeiro arromba-caixa.

Por isso o governo gaúcho está querendo obter apoio de um guarda-chuva maior. O presidente do banco, o carioca Claudio Coutinho, foi contratado a peso de ouro (mais de 100 mil reais por mês, além de prêmios e outras vantagens), mas não imaginava que fosse enfrentar tamanhos problemas.

Definitivamente, é tempo de fim de linha para a velha política quase centenária, no Rio Grande do Sul, de rolagem dos problemas com a barriga. O problema agora foi causado por advogada da Unidade Jurídica do banco, já aposentada, que não tirou o seu nome das ações. Ela foi notificada pela Justiça do Trabalho para oferecer recurso em nome do banco, não respondeu à notificação, o banco arcou com a perda de prazo, e perdeu a ação no mérito, em segundo grau.

As ações (dezenas delas, abrangendo milhares de funcionários e ex-funcionários), demandarão um difícil cálculo, um a um, mas é possível projetar que seus custos podem atingir facilmente dois bilhões de reais. O pedido de socorro à Febraban é no sentido de ser alcançado um acordo do setor com a Justiça Trabalhista, que amenize o impacto das sentenças judiciais, e possa prolongar o pagamento das indenizações no tempo.

Compartilhe nas redes sociais:

Comments (1)

  1. Não fala bobagem. No balanço do banco aparece o provisionamento de 1.69bi para esse processo

Faça seu comentário