BrasilPolíticaTodos

Fernando Henrique Cardoso diz que não participa de complô para derrubar Bolsonaro denunciado por Roberto Jefferson

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso respondeu ao ex-deputado federal Roberto Jefferson, que o acusou de ser “o maestro” de um complô contra o presidente da República, Jair Bolsonaro. Segundo Roberto Jefferson, Fernando Henrique Cardoso está em conluio com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), com o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), o ultraesquerdista Felipe Santa Cruz, e com os governadores João Doria (PSDB-SP) e Wilson Witzel Witzel (PSC-RJ) para tocar adiante um impeachment de Bolsonaro.

Fiz Fernando Henrique Cardoso em postagem que fez no Twitter: “Em entrevista no Estadão, um ex-deputado fala em complô meu com Maia e Doria para derrubar Bolsonaro. Nada mais errado: não quero tal. Melhor ter paciência histórica. Respeito o voto popular. Discordar é normal, sem derrubadas. Coesão contra o vírus, é preciso. Não intrigas”.

“Para derrubar Bolsonaro, só se for a bala”, afirmou Roberto Jefferson em suas manifestações, avisando que já estava lubrificando seu revólver, ou seja, deixando claro que correrá sangue se houver essa tentativa da baixa política comandada por Rodrigo Maia: “Vai acabar tendo de ter uma intervenção até para estabilizar”, emendou, em uma referência às Forças Armadas.

Fernando Henrique Cardoso é uma das mais nefastas figuras da política nacional no mínimo desde a década de 60. Ele é um dos principais articuladores das forças políticas que emergiram no regime militar, em 1985, com a eleição de Tancredo Neves, inaugurando a fase do criminoso regime de “coalizão política”, um sinônimo para licença de roubo escancarado dos recursos públicos pela classe política e empreiteiros e banqueiros bandidos.

Fernando Henrique Cardoso, essa figura sinistra, um neto e filho de generais que se borra de medo de armas, e que se aliou a George Soros, na Open Society, para legalizar o tráfico de drogas, como meio de se apossar dos recursos trilionários gerados pelos narcotraficantes, é o principal autor intelectual daquilo que se consumou como o maior desastre econômico do Brasil em toda a sua história, o regime criminoso do PT. Há uma máxima, muito conhecida entre jornalistas, que diz o seguinte: quando um política diz “Não”, entenda que ele está dizendo “Sim”. Portanto, ao negar que esteja liderando o complô contra Bolsonaro, Fernando Henrique Cardoso, do alto de uma muito falsa modéstia, está deixando claro para todo mundo que ele é, sim, o líder dessa grande conspiração das elites brasileiras, subordinadas ao discurso esquerdista. Fernando Henrique Cardoso não consegue mais ter sucesso com suas artimanhas, seus truques de dissimulação já foram todos descobertos.

Compartilhe nas redes sociais:

Faça seu comentário