MundoTodos

Deputados do Chile aprovam reduzir pela metade salários de presidente e de parlamentares

A Câmara dos Deputados do Chile aprovou nesta quarta-feira (27), por unanimidade, reduzir em 50% o salário das autoridades mais altas do Estado. Isso inclui o presidente, os ministros, subsecretários, governadores e os próprios parlamentares. Essa era uma das promessas do presidente Sebastián Piñera, que tenta conter as manifestações que ocorrem no Chile há cerca de 40 dias.

Para entrar em vigor, o projeto deve passar pelo Senado. Um deputado chileno ganha por volta de nove milhões de pesos chilenos, equivalente a cerca de R$ 48 mil. A decisão não vale para prefeitos e integrantes dos Judiciário. Funcionários do Ministério Público também não sofrerão cortes de salários, caso o Senado também aprove a medida.

A medida tem caráter transitório e não cortará os benefícios extras dos parlamentares. Ainda assim, os deputados acreditam que a decisão atendem, ao menos em parte, as demandas dos protestos no Chile. Também nesta quarta-feira, o presidente Piñera pediu urgência aos parlamentares para que aprovassem uma série de leis para conter a violência nos protestos — entre elas, a que proíbe a participação de manifestantes encapuzados ou mascarados; e a que permite o uso de militares para proteger o patrimônio público sem a decretação do estado de emergência.

Em meados de outubro, manifestantes começaram a protestar contra o aumento no preço das passagens de metrô em Santiago. Após as cenas de violência, as manifestações se converteram em um movimento contra a classe política em todo o Chile. Estima-se que 26 pessoas morreram e milhares ficaram feridas nos confrontos com a polícia — inclusive dezenas de manifestantes tiveram sérios danos à visão. Na noite de terça para quarta-feira, uma série de saques e incêndios durante os protestos voltou a preocupar as autoridades chilenas. Manifestantes chegaram a atear fogo em um hotel da cidade de La Serena e nas instalações de um jornal perto de Valparaíso — cidade portuária que é a sede do Legislativo.

Compartilhe nas redes sociais:

Faça seu comentário