JustiçaMundoTodos

Cristina Kirchner vai a juízo no caso dos Cadernos das Propinas

A ex-presidente argentina Cristina Kirchner irá novamente a julgamento, agora na causa conhecida como Cadernos das Propinas (“cuadernos de las coimas”). O juiz Claudio Bonadio deu por encerradas as investigações, e a causa será levada ao tribunal. No processo em que a ex-presidente é acusada de chefiar uma associação criminosa que se dedicou à arrecadação de propinas, a investigação envolveu 172 pessoas processadas e 31 delatores premiados.

O nome da causa faz referência aos cadernos de Oscar Centeno, motorista de Roberto Baratta, braço direito do ex-ministro Julio De Vido, que durante anos manteve um registro detalhado da rota das malas com dinheiro que as empreiteiras argentinas pagaram aos governos kirchneristas muito corruptos de Nestor Kirchner e sua mulher Cristina.

Centeno também será julgado como membro da organização criminosa. O motorista está em liberdade por ser o primeiro acusado a colaborar com o processo e faz parte do programa de réus protegidos. O ex-ministro Julio De Vido e seu braço direito, Roberto Baratta, estão em prisão preventiva, acusados de associação ilícita, criminosa, formação de quadrilha.

A divulgação pública dos cadernos, em agosto de 2018, abriu um dos maiores processos de corrupção da história argentina. Implicados no processo estão, além de Cristina Kirchner, diversos ex-funcionários do Ministério do Planejamento e uma centena de empresários. O caso dos Cadernos das Propinas” é considerado a célula-mãe, já que dele derivaram seis inquéritos.

Nesta semana, após o juiz Bonadio enviar o processo para juízo, será sorteado o tribunal oral que julgará a ex-presidente. Apenas após essa definição é que será determinada a data de início do julgamento. Com a Argentina em plena campanha eleitoral, e levando-se em conta a saturação do sistema judicial do país, a probabilidade é que a definição de qual tribunal a julgará, e quando começará o juízo, não seja imediata.

Cristina Kirchner, que atualmente é senadora, concorre como vice-presidente na chapa liderada por Alberto Fernández. A chapa recebeu 47% dos votos nas eleições primárias realizadas há um mês e que funcionam como uma grande pesquisa nacional. Com esse percentual, a chapa venceria a eleição em primeiro turno, já que são necessários 45% dos votos para a vitória na primeira rodada.

As eleições gerais estão marcadas para o dia 27 de outubro. Enquanto não se livrar do peronismo corrupto a Argentina continuará rolando de crise em crise, de tragédia em tragédia.

Compartilhe nas redes sociais:

Faça seu comentário