BrasilEconomiaTodos

Credit Suisse afirma que 30% dos bares brasileiros irão quebrar se a quarenta durar até julho

Cerca de 30% dos bares brasileiros irão quebrar se quarenta durar até julho, de acordo com a análise do Credit Suisse. O banco realizou uma videoconferência com o CEO da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes, Paulo Solmucci, para entender as mudanças que o setor vai sofrer e já estão sofrendo com o coronavírus. Assim, o Credit Suisse listou as 10 pontos mais relevantes da conversa:
1. Alguns bares e restaurantes não vão sobreviver a crise
Para o Credit, 20% dos estabelecimentos não conseguirão se recuperar da crise, o que deve causar o fechamento dos estabelecimentos. Em um cenário ainda mais drástico, se a quarentena durar até julho, esse número deve subir para 30%.
2. Volumes de cerveja estão aumentando
A volta do consumo de cerveja está sendo impulsionada por bloqueios mais liberais da quarentena, como nas periferias do País, o que mostra uma retomada mais rápida do que a esperada para o setor.
3. Mais margens do que volumes
Para o banco, o maior impacto deve ser causado por ter mais margens do que volumes, causado pela baixa de consumidores, custos mais altos por conta da alta do dólar e pior alavancagem operacional.
4. Longa recuperação no comércio
Após a abertura, é esperado que os bares e restaurantes que operam com sistema de delivery recuperem apenas 30% das vendas em comparação com o período pré-covid.
5. Restrições de capacidade
Devido as novas regras de distanciamento social, o banco espera que a capacidade dos estabelecimentos pode cair até 50%.
6. Visão do consumidor
O consumidor também é um problema para o setor, já que a queda na renda durante o período da crise, maior taxa de desemprego e endividamento devem afetar a recuperação dos restaurantes e bares.
7. São Paulo
São Paulo concentra representa 25% do consumo de cerveja do Brasil e está atrás de outros Estados em relação a “solução” da crise do coronavírus. Sendo assim, a recuperação do consumo deve ser afetada pela alta taxa de infecção.
8. Cenário positivo
Em um cenário positivo, contando com aqueles que já estão indo para as ruas com uma quarentena mais flexibilizada, o que ainda acontece pouco, o mercado poderia retrair apenas 10%.
9. Transição Heineken
De acordo com o banco, a saída da Heineken do grupo da Coca-Cola pode ser menos dolorosa do que o esperado. Para eles, o nordeste do Brasil deve se beneficiar com ganhos de alcance e vendas.
10. Cerveja Premium
Apesar da diminuição do consumo de cerveja nos últimos anos, algumas bebidas diferenciadas da mesma origem estão recuperando a preferência dos jovens, o que parece um bom sinal.

Compartilhe nas redes sociais:

Faça seu comentário