PolíciaTodos

Coronel Mário Ikeda sai do comando da Brigada Militar gaúcha com medo de perder FG

Temendo perder os valores da Função Gratificada, a FG a que tem direito como comandante da Brigada Militar do Rio Grande do Sul, o coronel Mário Ikeda pediu para ir para a reserva. Ikeda teme os efeitos da reforma da previdência. Seu substituto será o coronel Rodrigo Mohr, atual comandante do policiamento da região metropolitana.

O coronel Mario Ikeda é o melhor comandante que já passou pela chefia da Brigada Militar do Rio Grande do Sul no mínimo nos últimos 30 anos. Ele chegou ao comando quando parecia que a bandidagem tinha tomado conta do Estado. Com um vigoroso combate aos bandidos, encerrando o CPF de dezenas deles. o coronel Ikeda restaurou o sentimento de segurança dos jovens.

Agora, ainda muito jovem, vai para a reserva. Essa é a mais perversa das perversidades do serviço público gaúcho. A Brigada Militar tem 13 postos de comando, atribuídos a coronéis, mais alto grau da carreira. Pois há mais de 500 coronéis na reserva, todos aposentados extremamente cedo, até com menos de 50 anos. Isso é um absurdo inconcebível, que só acontece neste Estado falido, justamente por razões como essa.

Como Ikeda, 2 mil altos funcionários estaduais em condições de se aposentar, ameaçam fazer o mesmo. A situação do Rio Grande do Sul, que já está em um desespero total, ameaça ficar muito pior. O fundo do buraco ainda está longe.

Compartilhe nas redes sociais:

Faça seu comentário