BrasilMeio AmbienteTodos

Bombeiros conseguiram apagar incêndio no Parque Estadual da Serra do Tabuleiro após dois dias de combate ao fogo

Um incêndio destruiu uma área de aproximadamente mil hectares no Parque Estadual da Serra do Tabuleiro, situado em Palhoça, na Grande Florianópolis, em Santa Catarina. Segundo os bombeiros de Palhoça, o fogo teve início na terça-feira, 10, mas relatos de moradores da Guarda do Embaú indicam que havia grandes focos de fumaça já na segunda-feira, 9.

O Parque Estadual da Serra do Tabuleiro é considerado uma das maiores unidades de conservação ambiental de Santa Catarina, totalizando 84 mil hectares e abrangendo 8 cidades catarinenses, entre elas: Florianópolis, Santo Amaro da Imperatriz, Águas Mornas, São Bonifácio, Palhoça, Paulo Lopes e Garopaba, na Grande Florianópolis, e Imaruí, no sul do Estado.

O Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA) calcula que a extensão da queimada equivale a aproximadamente 1.400 campos de futebol. De acordo com o Corpo de Bombeiros de Palhoça, o trabalho de combate às chamas mobilizou cerca de 100 bombeiros militares e civis de Palhoça e também dos municípios de Camboriú, Porto Belo, Itapema, Brusque, São Jose, Santo Amaro, Tubarão, Itajaí e Criciúma.

“O fogo já está controlado. Estamos aguardando uma chuva prevista para a tarde desta quinta-feira, 12, para amenizar a situação. Temos uma força-tarefa que está no local controlando os pequenos focos. A população local também se preocupou em ajudar no combate as chamas”, adiantou o sargento Luís Carlos Gomes. Ele afirmou que o vento sul de terça-feira dificultou o combate às chamas no Parque Estadual da Serra do Tabuleiro: “Esse vento (sul) aproximava o fogo para perto de algumas residências, e foi preocupante, mas os bombeiros fizeram um trabalho forte para impedir que o fogo se aproximasse das casas. Na quarta-feira, o vento mudou para o sentido nordeste, o que ajudou os bombeiros no combate ao fogo”, disse o sargento Gomes.

A área continuava sendo monitorada ao longo da manhã desta quinta-feira com o auxílio de drones, principalmente na região sul do Parque. O geógrafo e coordenador do Centro de Visitantes do Parque Estadual da Serra do Tabuleiro, Luiz Pimenta, afirmou que “infelizmente ainda é difícil de mensurar os danos ambientais, o impacto deste incêndio. Temos uma diversidade muito grande de animais dentro do parque, ou seja, mais de 200 espécies de aves e mamíferos, como o gato do mato, um felino que está em extinção”, disse.
Entre os animais resgatados durante o incêndio estava um jabuti.

Compartilhe nas redes sociais:

Faça seu comentário