Governo

Bolsonaro disse que muitos dos médicos cubanos eram na verdade agentes secretos da ditadura castrista

O presidente Jair Bolsonaro comentou nesta quinta-feira, 1º, na transmissão semanal ao vivo pelo Facebook, o lançamento do programa “Médicos pelo Brasil”, que deverá substituir o programa “Mais Médicos”. Segundo o presidente, no programa anterior “muitos (dos agentes de saúde) eram agentes e militares cubanos” que repassavam “bilhões” ao governo de lá. Segundo Bolsonaro, serão 13 mil vagas, das quais 55% destinadas à região Nordeste.

“No programa do PT, proporcionalmente, o maior numero estava em São Paulo. Precisamos atender o mais necessitado”, disse Bolsonaro. Esteve com ele o ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, que disse ser necessário também levar internet aos lugares mais necessitados. O ministro aproveitou a ocasião para comentar o programa “Nordeste Conectado” que prevê conexão de internet via fibra ótica para universidades, escolas, hospitais e unidades básicas de saúde da região. “Será o maior projeto de internet, provavelmente, do planeta”. Pontes também afirmou que não há razão para que a Câmara deixe de aprovar o acordo com os Estados Unidos para uso comercial da base de Alcântara, no Maranhão.

Compartilhe nas redes sociais:

Faça seu comentário