EconomiaMundoTodos

Banco Mundial escolhe Carmen Reinhart como economista-chefe

O Banco Mundial escolheu Carmen Reinhart como sua nova economista-chefe. O presidente da instituição, David Malpass, afirmou em nota que ela chega em um momento no qual o órgão multilateral tem impulsionado seus esforços para restaurar o crescimento e enfrentar a crise da dívida e a recessão que assola muitos dos países-membros. Ela toma posse em 15 de junho. O Banco Mundial é um covil de esquerdistas, que acolheu e espalhou com seu amparo a proposta comunista trotskista do PT de Porto Alegre, o criminoso (literalmente) programa do “Orçamento Participativo”, denunciado ao ex-vice presidente do próprio Banco Mundial pelo editor de Videversus. O vice-presidente fez ouvidos completamente moucos para a denúncia, apresentada em café da manhã no Hotel Plaza San Raphael, em Porto Alegre, com testemunhas e documentos.

“Carmen dedicou sua carreira a entender e superar crises financeiras em economias avançadas e em desenvolvimento, para atingir crescimento e melhores padrões de vida. Sua forte liderança durante esse período sem precedentes será de grande valor para o Banco Mundial e nossos clientes”, disse Malpass. A economista americana tem PhD pela Universidade de Columbia e atualmente leciona em Harvard. Já foi pesquisadora do Peterson Institute for International Economics, professora da Universidade de Maryland e economista do banco Bear Stearns. A Universidade de Columbia é reconhecida como um covil de esquerdismo.

Suas áreas de especialização são fluxos internacionais de capital, finanças e macroeconomia, e já publicou diversos artigos sobre economias da Ásia e da América Latina. Ela foi incluída pelo FMI, no mês passado, no seu comitê externo de especialistas para ajudar no combate à crise.

Compartilhe nas redes sociais:

Faça seu comentário