MundoNegóciosTodos

Arábia Saudita continua com o plano de abertura de capital da Aramco

A estatal saudita de petróleo Aramco, considerada a mais valiosa e lucrativa empresa do mundo, contratou os bancos UBS e Deutsche Bank para coordenar sua abertura de capital na Bolsa, disseram duas fontes a par do assunto. A movimentação sinaliza que os preparativos para a oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) estão em estágio avançando, a despeito dos bombardeios que reduziram à metade a produção de petróleo do país no último sábado.

O IPO da Aramco tem sido uma das operações financeiras pelos investidores nos últimos dois anos e é considerada crucial pelo príncipe-herdeiro Mohammed bin Salman, que comanda de fato o país, para sua estratégia de reduzir a dependência econômica da Arábia Saudita em relação ao petróleo.

No começo de 2016, Salman estimou em US$ 2 trilhões o valor de mercado da Aramco, mas banqueiros informaram que ela valeria em torno de US$ 1,5 trilhão. Em qualquer um dos casos, as estimativas fazem da Aramco a empresa mais valiosa do mundo. A Microsoft, empresa com maior capitalização em Bolsa hoje, vale US$ 1,06 trilhão.

Após os ataques a duas instalações da empresa no último sábado, que causaram uma diminuição de produção na casa de 5,7 milhões de barris por dia, surgiram dúvidas sobre o prazo e o potencial da etapa doméstica da IPO, por meio da qual o governo saudita obteria US$ 20 bilhões junto a investidores.

A Aramco disse que, até o fim deste mês, retomará a produção de petróleo nas instalações de Abqaiq e Khurais, danificadas pelos ataques, que os Estados Unidos atribuem ao Irã. A IPO da Aramco em Riad é a primeira medida para uma venda de até 5% do capital da empresa, disseram fontes.

Outro 1% deve ser vendido dentro da país no ano que vem, antes do início da oferta internacional da empresa. As esperanças iniciais de um grande lançamento das ações foram frustradas quando o projeto foi interrompido, no ano passado, em meio a um debate sobre valores e em quais Bolsas listar as ações no exterior.

A Aramco afirmou, porém, que a demora ocorreu devido a seu acordo para adquirir uma fatia de 70% da fabricante de petroquímicos Saudi Basic. A reunião da Aramco com analistas antes da IPO de novembro está agendada para a próxima semana, disseram duas outras fontes. A empresa não quis comentar sobre o assunto. O Deutsche Bank se negou a comentar e o UBS não respondeu aos pedidos de comentário.

Compartilhe nas redes sociais:

Faça seu comentário